-Sofrimento Eterno-

“…no espaço largo ao convalescer desta dor…
Domínios obscuros absolutos que permanecem…
Por quanta Luz que não recebo, me refugi-o integralmente na solidão espacial, sendo o único meio de aceder ao meu interior mais nefasto.
Selecciono instantes austeros de funcionalidade…
Quanta prudência, quanta paciência.
Por quanta Luz desejo,
Sofro…”
22.06.2002

Deixa a tua opinião. Bem-Hajas!