Astrologia da Transformação

Qualquer processo de integração requer algum tipo de demarcação de fronteiras que o delimitem e definam o seu escopo em termos espaciais. Quando um Mapa Natal é considerado uma Mandala, o seu centro é o ponto em que se cruzam os eixos do horizonte e do meridiano. É ali que está, quando não o indivíduo, ao menos a potencialidade de individualização – o indivíduo-por-vir-a-ser. A circunferência que delimita o campo de existência de um indivíduo – o espaço existencial básico da pessoa – na astrologia de hoje é o Zodíaco. O Zodíaco também simboliza para o indivíduo a “natureza humana” genérica, que também coloca limites para o desenvolvimento individual que, no entanto, não são insuperáveis.

Deixa a tua opinião. Bem-Hajas!