Signos, Zodíaco e Meditação – Balança II

No mês de Balança podemos aprender com a nossa atitude em relação aos contactos que, para um encontro livre e verdadeiro com o outro, devemos ser desinteressados e abnegados, dando ao outro a liberdade de ser ele mesmo. Dessa forma, entraremos em contacto com o outro em toda a extensão do seu Ser. A comunicação e o encontro verdadeiros tornar-se-ão possíveis. Portanto a condição para o Amor entre os Homens, que ao mesmo tempo liberta o próprio Ser, é a abnegação e a pureza.

Disse um grande pensador:

Um dos paradoxos mais profundos da vida é quanto menos o Homem pensa em si próprio, tanto mais completo ele será.

Quem age desprendida e desinteressadamente cresce em seu verdadeiro Ser, tornando-se capaz do Amor altruísta.

Tão logo permitamos ao nosso Ser, e assim ao Amor por todas as criaturas, actuar através de nós, o mundo ao nosso redor também se transformará. Se permanecermos neste estado de amor, mesmo em tempos difíceis, então nos transformaremos continuamente e seremos sempre chamados para novas tarefas. Através da nossa própria transformação veremos o mundo e os seres humanos de um modo bem diferente, muitas coisas serão vistas sob uma nova luz. O amor que flui do âmago do Ser é, para o nativo de Balança, o ponto de equilíbrio dinâmico que unifica todos os extremos da vida e une-o em harmonia com todos os Homens.

Deixa a tua opinião. Bem-Hajas!