Signos, Zodíaco e Meditação – Virgem III

No mês anterior, em Leão, desenvolveu-se uma forte auto-consciência. No mês de Virgem, todo o desenvolvimento excessivo do Eu deve ser compensado e ajudado à realidade. O Leão quer reger, e Virgem deve servir. Dois elementos opostos chocam-se: o Leão positivo que quer se apresentar, e a Virgem passiva que frequentemente se nega a si mesma. Através deste forte contraste, compensa-se toda a ênfase em demasia. Caso a unificação destas duas qualidade seja bem sucedida, então libertam-se forças criativas que podem reparar e curar erros anteriores, pois enquanto não houver uma cooperação entres estas duas forças, a pessoa vacilará entre autoconfiança excessiva e sentimentos de inferioridade, entre a vontade pelo poder e submissão, entre a imposição do Eu e a modesta reserva, apenas para citar alguns desses bem conhecidos pares de opostos. O Leonino deve reconhecer através de Virgem que as pequenas coisas da vida também são importantes, e o Virginiano aprende através de Leão que se deve também ousar e assumir projectos maiores. Virgem às vezes duvida que tudo seja realmente tão simples e certo como pensa Leão. Dessa incerteza surge o medo de errar. E é esse medo que muitas vezes reduz a auto-confiança de Leão e que frequentemente leva Virgem ao outro extremo. O Virginiano deve alargar o seu espírito para uma visão maior, para um princípio ideal de vida, de modo que possa trabalhar com convicção nas pequenas coisas. É o caminho do pequeno para o grande e vice-versa, que sempre nos faz retornar ao centro do nosso próprio Ser.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.