Meditação

Valor: €30 – Duração: 1h x 4 sessões


⇒ Uma das finalidades da meditação (talvez a mais importante) é centralizar e expandir a consciência. Progressivamente, a meditação desenvolve o entendimento interior da sua relação com o exterior, proporcionando o equilíbrio e a realização espiritual. Assim, lenta e diariamente, vencemos certas barreiras que nos impedem de sermos felizes, tais como: fragilidades de carácter, carências de amor, escassez de propósitos na vida, etc, que originam máculas e desarmonias nos corpos, físico, emocional, sentimental, mental e espiritual.

Mensuração da Atenção Plena ContemplativaExistem vários tipos de meditação: energética, transcendental, activa, sobre a respiração, tântrica, etc. Se está a iniciar, ou quer iniciar a sua prática de meditação, recomenda-se a meditação sobre a respiração. A principal actividade mental usada nas meditações sobre a respiração é a concentração, a habilidade de manter a atenção focalizada sobre o que quer que se esteja a fazer, sem se esquecer ou vaguear para outros objectos. Aqui, o objecto de concentração é a própria respiração. Na sua forma mais efectiva, a concentração é acompanhada pela atenção discriminativa, uma outra função da mente que, como um guarda, está alerta contra distracções e pensamentos perturbadores.

“Na obscuridade está a luz; não olheis com olhar obscuro. Na luminosidade está a escuridão; não olheis com olhar luminoso”.

Este pensamento contém um ensinamento elevado, capaz de libertar a pessoa que medita dos grilhões do raciocínio formal limitado. Uma situação prática adaptável a esse aforismo seria, por exemplo, a de uma pessoa deprimida, que só vê escuridão em tudo, sem perceber que a resposta ao seu sofrimento, ou “a luz”, está na própria experiência negativa pela qual ela passa. Com relação à segunda parte do aforismo, tomemos como exemplo uma pessoa erudita, carregada de informações e que se considera muito evoluída ou adiantada. Neste, e em muitos outros casos semelhantes, o excesso de “luz” acaba por cegar, impedindo ou limitando o próprio crescimento individual. Quanto maior a carga de conhecimentos ou de informações, maior o distanciamento do indivíduo da simplicidade original. Diz a sabedoria antiga que as coisas mais profundas são as mais simples, mas a mente analítica, baseada apenas na lógica formal, não dialética, não tem condições de penetrar a suprema simplicidade essencial.

Para marcar uma Sessão  Clique Aqui.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.