A Grande Conjunção

Como referi no artigo anterior vivemos um período, que representa uma fase de mudanças em massa originada por forças sociais generalizadas, em particular, este ano de 2020, não só pela conjunção de Saturno e Plutão em Capricórnio, que ocorreu em Janeiro, mas também pela conjunção de Júpiter e Saturno em Aquário que irá acontecer a 21 de Dezembro, quando o Sol entrar em Capricórnio. Também chamada de a “Grande Conjunção”, ela ocorre a cada 20 anos e é considerada um factor determinante no ritmo da evolução da sociedade em termos mais vastos.

A ocorrência de uma conjunção entre Júpiter e Saturno exactamente ao mesmo tempo que o solstício de inverno é extraordinariamente rara e auspicia um ciclo de iluminação; uma autêntica “revolução de consciência” – o tão aguardado “despertar da humanidade”. Desde a antiguidade, que o solstício de inverno é um dos eventos mais importantes do ano. Nesta que é a época mais “sombria”, onde se observa o apogeu da obscuridade, a “nova luz” é humildemente recebida e simbolicamente celebrada com a iminência da chegada do Natal.

Os antigos davam muita importância às Grandes Conjunções de Saturno e Júpiter que acontecem, sensivelmente, no mesmo elemento durante mais ou menos 200 anos. O interessante neste ciclo está no padrão de repetições nos elementos dos signos onde ocorrem os aspectos, tanto as conjunções quanto as oposições. Desde os Persas, passando pela cultura helénica, árabe, e a medieval-renascentista, os astrólogos previam a ascensão e declínio dos impérios e dinastias, e culturas dominantes, baseados neste ciclo.

Dez202000ºAquário
Out204017°Balança
Abr 206000°Gémeos
Mar 208011°Aquário
Set 210025°Balança
Jul 211915ºGémeos
Jan 214016ºAquário
As próximas Grandes Conjunções de Júpiter e Saturno em signos de Ar

Desta vez, o encontro dos dois planetas sociais ocorre aos 00° de Aquário, e dará início a um ciclo, no elemento Ar, que irá determinar como a sociedade será ao longo dos próximos dois séculos, nos quais, a comunicação, o conhecimento, e os ideais irão ser de maior importância. De facto, esta conjunção em Aquário representa um momento de re-orientação mental e espiritual e de ajuste nas relações temporais de poder, uma verdadeira oportunidade para reestruturarmos consciente e criativamente o nosso modo de vida individual e colectivo, trazendo ao de cima os ideais da revolução francesa, Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

Será um momento de renovação, onde a liberdade do pensamento irá contestar os paradigmas vigentes de forma ousada. A força da própria Vida ou Natureza conspirará para a derrocada daquilo que estava estabelecido, por maior que seja o império ou sistema vigente. Haverá uma tendência para a importância de crescermos e aperfeiçoarmo-nos através dos ideais humanitários – pela unidade de toda a Humanidade e pela tolerância para com a ampla variedade de formas de livre expressão; do desenvolvimento intelectual, através de conhecimentos e atitudes científicas claramente definidas e do empenho em metas sociais ou futuristas.